Medo de cachorro

Minha sobrinha de 11 anos tem pânico de cachorro. Ela também sente ciúmes do irmão mais novo, mais paparicado. Esse pânico pode ser uma forma de ela mostrar que existe e também precisa de carinho, atenção, afeto?

Medo de cachorro

Não creio que o medo de cachorro seja uma forma de chamar a atenção. Aliás, trata-se de uma interpretação que, caso seja comunicada à menina, pode aumentar o seu sentimento de culpa e de inadequação por causa do ciúme que sente em relação ao irmão.

O medo contudo é sim uma forma do inconsciente chamar a atenção para algo que foi ocultado à consciência. Neste sentido trata-se de um sintoma que remete a algum material psíquico “recalcado” por ser considerado “perigoso” ou ambíguo.

 As fobias são o resultado de processos traumáticos que se manifestam de forma sintomática através da substituição do horror relacionado ao trauma desencadeador pelo horror por um objeto do mundo externo (animal, coisa, situação, etc.). O que complica as coisas é que nem sempre o trauma é diretamente relacionado ao “objeto” (no caso o cachorro) percebido como assustador e aversivo pela consciência. O cachorro pode simplesmente encobrir outra cena traumática que foi ocultada no inconsciente e à qual ficou, por alguma razão, associado.

É difícil, fora do processo terapêutico, remontar a esse tipo de traumas, pois foram cuidadosamente “ocultados” da consciência. Lembro por exemplo de uma paciente que tinha fobia de aves. No processo analítico descobrimos que na infância tinha sido confiada a uma empregada que não gostava dela e que a perseguia com um espanador de penas para fazer cocegas e bater nela. As aves a remetiam a essa experiência aversiva da infância e talvez a algum tipo de excitação sexual que o espanador provocava nela.

No caso em questão o(a) nosso(a) leitor(a) identificou um possível ciúme da menina pelo irmão mais novo. Algo pode ser feito, evitando de culpa-la pelo ciúme e fazendo com que ela “sinta” que existe e que merece carinho, atenção e afeto.

Author avatar
Roberto Girola
https://robertogirola.com.br
Usamos cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência.