Website de Roberto Girola - Psicanalista

Filtro bolha, Redes Sociais e capacidade de pensar

Publicado em Outros

No final dos anos 90 participei de uma entrevista televisiva com o pensador Pierre Levy. Na época o filósofo francês já tinha elaborado uma interessante teoria sobre o que ele defina “As árvores do conhecimento”, preconizando formas de conhecimento e de pensamento mais democráticas e participativas que se desenvolveriam a partir das novas possibilidades oferecidas pela Internet.

A profecia se realizou? Quase 20 anos depois, em um artigo publicado pelo jornal O Globo, o professor Massimo Di Felice, fundador do Centro de Pesquisas Atopos, da Universidade de São Paulo (USP), analisa o papel as Redes Sociais na mobilização de milhões de pessoas nos recentes protestos populares, alegando que tais movimentos expressam na realidade uma insatisfação não apenas com o atual governo, mas com a democracia representativa como um todo, indo além daquilo que a mídia tradicional (TV, rádio e jornais e revistas e seus respectivos sites) tende a divulgar, criando recortes que podem levar a leituras parciais e tendenciosas. Até que ponto as Redes Sociais conseguem de fato se contrapor a essa manipulação da informação que geralmente é atrelada a interesses de parcelas específicas da sociedade?

Leia mais ...

Intolerância nas Redes Sociais

Publicado em Comportamento

 

As pessoas continuam se engalfinhando por causa de política e já perdi muitos amigos nas redes sociais. Estamos vivendo na era da intolerância? (Raul Mascarenhas, São Paulo – SP)

As últimas eleições foram palco de intensas “brigas” travadas nas redes sociais pelos defensores dos candidatos que disputavam cargos públicos e seus respectivos partidos. Como era de se prever, as “brigas” travadas nas redes sociais acabaram deixando para trás rastros de morte e destruição que atingiram algumas “amizades”.

Leia mais ...

Manifestações, Movimentos Sociais e Redes Sociais

Publicado em Insights

Manifestações, Movimentos Sociais e Redes Sociais

Um ano atrás, escrevi um artigo comentando as primeiras manifestações de massa convocadas pelas Redes Sociais (cf. Manifestantes em busca de uma causa). O que caracterizou o início do movimento popular foi uma forma de apartidarismo, uma espécie de agnosticismo político, baseado na constatação que nenhum setor institucionalizado da sociedade (congresso, câmaras municipais, partidos e governo em suas diferentes instâncias) de fato representa os interesses dos cidadãos.

Como o artigo previa, as manifestações acabaram adquirindo um caráter cada vez mais violento, mas essa não foi a única transformação do movimento. Um ano depois, os Movimentos Sociais tomaram conta das ruas, substituindo a massa popular, que se afastou diante dos crescentes atos de vandalismo e de depredação que deram às manifestações um caráter cada vez mais violento e arbitrário.

Leia mais ...

Saudade melancólica

Publicado em Comportamento

Tenho vários amigos, mas, mesmo assim, meu coração vive com saudade de algo que não sei explicar o que é.

Saudade melancólica

Usando uma metáfora, poderíamos definir a melancolia como uma nuvem que impede que o sol brilhe em nossa alma. O nosso leitor descreve com propriedade de que se trata. Não faltam amigos ao melancólico, mas eles não conseguem aplacar a sensação de falta que reina soberana em seu mundo interno.

Grandes poetas, músicos, romancistas, pintores se tornaram famosos justamente por representar em sua arte esse sentimento sorrateiro. Trata-se de uma saudade que remete a uma falta que o sujeito não sabe bem o que é. Não é especificamente a falta de algo ou de alguém, trata-se de um sentimento mais profundo: uma falta abismal, que toma conta da alma.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS