Website de Roberto Girola - Psicanalista

A bolha institucional: ditadura da perversão...

Publicado em Pagina Inicial

Quando Freud descreveu as síndromes ligadas à perversão, chegou à conclusão que elas poderiam ser classificadas em um lugar intermediário entre a neurose e a psicose. É o que podemos constatar diante do comportamento perverso da maioria dos nossos políticos, de alguns empresários e de membros da magistratura. Para qualquer pessoa de bom senso fica bastante claro o afastamento da realidade dos que supostamente deveriam estar representando os interesses da nação. A política, a gestão de negócios bilionários e, às vezes, o próprio exercício do direito se tornaram práticas narcísicas, voltadas a garantir os interesses e a sobrevivência de uma bolha institucional, que parece flutuar no nada, totalmente desconectada do país que supostamente deveria representar e da realidade que deveria nortear suas decisões.

Tudo isso parece indicar que estamos diante de um fenômeno altamente perigoso. Seria como entregar a direção de um internato de crianças à gestão de um pedófilo. Trata-se de uma tragédia anunciada. Fica extremamente difícil fazer previsões sobre um futuro que se anuncia bastante sombrio.

Leia mais ...

Mentir é doentio?

Publicado em Comportamento

Até quando mentir pode se tornar doentio?

 

Falar a verdade nem sempre é fácil e a reação do outro pode não ser das melhores.

 Uma primeira questão que envolve a mentira nem sempre está ligada ao desejo antiético de querer prejudicar o outro. Às vezes “mentir” é uma forma disfarçada de “sedução”, que nasce do desejo de ser aceito pelo outro e de não perder o seu afeto. Este tipo de mentira na maioria dos casos não favorece quem mente; ao contrário, geralmente o prejudica. A origem desse tipo de mentira é um Ego frágil, que recorre ao “falso eu” (falso self), para sobreviver em um mundo que é percebido como ameaçador ou então como extremamente frágil, incapaz de “suportar a verdade do outro”.

Leia mais ...

Breaking Bad (Botando para quebrar)

Publicado em Filmes

O seriado Breaking Bad (que poderia ser traduzido como Botando para quebrar) conta a história de um professor de física que, ao descobrir que está com câncer, resolve fabricar um novo tipo de droga, extremamente pura e valiosa para o mercado. O intuito inicial é fazer com que, na sua morte, a mulher e o filho, deficiente físico, possam viver tranquilamente, sem dívidas e com uma renda que garanta seu futuro, algo que nunca conseguiria com o trabalho honesto como professor de segundo grau e com o emprego extra em um lavador de carros.

Leia mais ...

Os “Rolezinhos”: uma leitura

Publicado em Insights

“Rolezinhos”: uma análise do fenômeno

Os Shoppings Centers são uma das passarelas onde são exibidos os ícones alvo das aspirações de consumo de todas as classes sociais.

Se participar do cortejo dos bem-sucedidos tornou-se um imperativo da nova economia psíquica, inspirada no apelo ao gozo sem fim (cf. Melman & Lebrun, O homem sem gravidade), não surpreende que os jovens da periferia queiram ter acesso a esse mundo glamoroso.

Uma expressão desse fenômeno é o Funk, um gênero musical típico da periferia, marcado pela passagem do Funk “bandido”, que exaltava a marginalidade como lugar de protesto e de diferenciação, para o Funk “ostentação”, cujos ícones são os MCs endinheirados, expressão do gozo do consumo desmedido dos produtos de grife. Mas por que marcar encontro pelas redes sociais para que milhares de pessoas possam “ocupar” um espaço até então reservado a um público mais seleto que justamente ali se refugia para fugir da “ralé”?

Leia mais ...

Cenários de violência e barbárie

Publicado em Insights

Todo dia a mídia noticia episódios de violência, onde surpreende a crueldade e o desprezo pela vida humana. Como lutar contra a violência que nos acua cada vez mais?

Cenários de violência e barbárie

Esperando o elevador, fui surpreendido pelo comentário de dois moradores do prédio onde moro que se diziam aliviados por chegar em casa sãos e salvos. A conversa me remeteu a um cenário de guerra. É o que apontam as pesquisas: um aumento de 100% dos homicídios nos primeiros meses deste ano em comparação com 2012.

O aumento não é apenas quantitativo e sim também qualitativo. São cada vez mais frequentes os crimes marcados por situações de violência gratuita, bárbara, protagonizados por marginais, inclusive menores, cínicos e cruéis. Todos nós, ricos e pobres, nas grandes cidades ou no interior, estamos expostos a esse tipo de situações, mesmo admitindo que nos bairros mais pobres os índices de violência são superiores.

Leia mais ...

Psicose e perversão

Publicado em Outros

Psicose e perversão

 

Quando falamos em perversão, do ponto de vista psicológico, não estamos emitindo nenhum juízo sobre o caráter moral da pessoa. Freud considerava a perversão como um tipo de funcionamento psíquico que, por algumas características, estaria mais próximo da psicose (loucura) que da neurose.

Os sintomas que caracterizam essa síndrome não têm contudo a mesma intensidade da psicose. Quem já teve a oportunidade de se relacionar com um psicótico sabe o quanto é difícil para ele estabelecer vínculos. A dificuldade não abrange apenas as relações pessoas, mas também as relações com o mundo externo em geral. Ambos são negados e rejeitados. Fantasia e realidade estão sempre intimamente relacionadas na mente do psicótico que, tem muita dificuldade em separar uma da outra.

As fantasias podem chegar a tamanha intensidade que podem criar imagens, sons ou outras percepções sensoriais que são percebidas como reais, embora existam apenas na mente do psicótico.  É o que chamamos de alucinação. Tramas conspiratórias são criadas com riqueza de detalhes e se tornam absolutamente “reais” e fazem com que o psicótico se veja à mercê de inimigos imaginários e perigosos (paranóia).

Leia mais ...

Cesare Battisti e Jaqueline Roritz

Publicado em Outros

Não me arrependo de nada!

 “Não me arrependo de nada” é a surpreendente declaração dada à revista Istoé por Cesare Battisti, o ex-terrorista italiano que o Brasil se recusou a extraditar, questionando a “legitimidade” da sentença condenatória emitida pelos tribunais italianos.

Sem querer entrar na discussão (que não me cabe) sobre o proceder jurídico dos nossos governantes e do Supremo Tribunal Federal brasileiro, o que chama a atenção é a postura deste meu compatriota diante das consequências dos seus atos.

Cesare Battisti era membro do grupo armado de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) que atuava na Itália no fim dos anos1970

. Em1987 Battisti foi condenado pela justiça italiana à prisão perpétua pela autoria direta ou indireta dos quatro homicídios atribuídos ao PAC, além de assaltos e outros delitos menores, também atribuídos ao grupo.

Leia mais ...

Resignação diante dos cenários de perversão

Publicado em Outros

A resignação diante dos cenários de perversão

 Algumas notícias preocupantes marcaram o início da vida política do nosso país este ano. A primeira bofetada veio com o vergonhoso aumento dos honorários que deputados e senadores, muitos deles recém eleitos, concederam a si mesmos. As reações do país foram pífias, a não ser a condenação severa e sem rodeios do Bispo de Limoeiro do Norte (CE), dom Manuel Edmilson da Cruz, que em plena sessão parlamentar recusou uma Comenda que lhe tinha sido outorgada pelo Senado por sua atuação em favor dos Direitos Humanos. A voz pacata daquele homem frágil de mais de 80 anos se levantou em um corajoso protesto, denunciando a violação dos direitos humanos que os parlamentares acabavam de cometer ao aumentar seus honorários de forma tão escandalosa.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS