As aventuras de Pi

 

Assisti o filme “As aventuras de Pi”, no final tive a impressão que não entendi a fundo a mensagem, fiquei confuso? Qual é o sentido psicológico do filme?

 

O filme, além do atrativo visual da exibição em 3D, oferece uma interessante leitura das questões existenciais que mais intrigam o ser humano. O protagonista, um simpático garoto indiano, se vê às voltas com as contradições do mundo dos adultos e com os questionamentos que surgem vivendo em uma cultura onde se cruzam várias crenças religiosas e suas diferentes visões do mundo e das forças da natureza. Com extrema desenvoltura, Pi entra em contato com o cientificismo ateu do pai, venera a deusa Shiva, presente nas histórias contadas pela mãe, até se encontrar com o Deus misericordioso cristão e o onipresente Alá.

No entanto, a visão infantil e encantada do mundo é atravessada com brutalidade pela tragédia, que leva o menino a conhecer a maldade do coração humano e as forças poderosas da natureza, do destino e dos próprios instintos.

O convívio em um bote salva-vidas com um perigoso tigre, depois do naufrágio do navio em que viajava com sua família, é uma metáfora do encontro do menino com seus próprios instintos e com as forças poderosas que emanam do inconsciente.

Perdido no meio do oceano, Pi revê suas crenças e as questiona em contato com as forças da natureza, hora encantadora e amiga e hora apavorante, destrutiva e hostil.

O mar calmo, que reflete o brilho das estrelas e proporciona o alimento se alterna com o furor destrutivo da tempestade e a assustadora presença das criaturas marinhas mais estranhas e perigosas.

Do ponto de vista religioso, o filme questiona a presença do divino na vida dos homens, sobretudo nos momentos em que a tragédia parece mostrar um Deus hostil, desinteressado com o sofrimento humano e cruel na imposição de uma sequência esmagadora de eventos adversos.

Do ponto de vista psicológico, Pi enfrenta seus monstros internos, metaforicamente representados na ferocidade impiedosa dos animais ferozes, tendo que se deparar com a ambiguidade de sua natureza humana.

Última modificação em: Quinta, 22 Janeiro 2015 18:52
(1 Votar)
Visualizado 5165 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Log in

fb iconFazer login com Facebook
Criar uma conta